VoyForums
[ Show ]
Support VoyForums
[ Shrink ]
VoyForums Announcement: Programming and providing support for this service has been a labor of love since 1997. We are one of the few services online who values our users' privacy, and have never sold your information. We have even fought hard to defend your privacy in legal cases; however, we've done it with almost no financial support -- paying out of pocket to continue providing the service. Due to the issues imposed on us by advertisers, we also stopped hosting most ads on the forums many years ago. We hope you appreciate our efforts.

Show your support by donating any amount. (Note: We are still technically a for-profit company, so your contribution is not tax-deductible.) PayPal Acct: Feedback:

Donate to VoyForums (PayPal):

12/12/19 8:24:27Login ] [ Contact Forum Admin ] [ Main index ] [ Post a new message ] [ Search | Check update time | Archives: 1[2]3456789 ]
Subject: O guru de Chávez


Author:
ABKNET
[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]
Date Posted: 6/09/07 14:18:31

O cientista político alemão Heinz Dieterich começou sua vida política correndo da polícia nas ruas de Frankfurt.
Nos idos de 68, ao lado do hoje ministro alemão Joschka Fischer e no mesmo time de ninguém menos que o franco-alemão e ex-agitador-mor Daniel Cohn-Bendit, Dieterich erguia barricadas, desafiava a polícia e tirava o sono das ordeiras autoridades germânicas.
Enquanto seus companheiros "adaptaram-se" ao etablishement e tornaram-se dedicados políticos e até ministros de estado, Dieterich preferiu evoluir com seus estudos e seguir o caminho acadêmico, ao mesmo tempo que partia para o continente que então mais despertava as atenções do mundo: América Latina.

Discípulo de Adorno, Habermas e da vanguarda intelectual que sacudiu a Europa naqueles idos, Dieterich formou-se em Ciências Políticas seguindo depois para o México, em um programa de intercâmbio acadêmico. Ficou, aprofundou-se em seus estudos e tornou-se professor da Universidade Autônoma do México, ao mesmo tempo que, para não perder o lado prático, liderava iniciativas de apoio e solidariedade à Nicarágua, Cuba e Chile.


Hoje Heinz Dieterich é um dos mais respeitados teóricos da nova esquerda e o papa da "quarta via", o caminho político defendido por ele e principal foco de discussões da, após a queda do muro, ainda perdida intelectualidade mundial.
O cientista com queda para o lado prático, que tem sido alvo de calorosos debates da intelectualidade européia, possui pelo menos um seguidor que tem tirado o sono de alguns governantes do hemisfério norte: O venezuelano Hugo Chávez.


O vanguardismo político da América Latina está renascendo


Foi na prisão, em 1992, que Chávez teve o primeiro contato com Dieterich, ao ler seu livro sobre Simon Bolivar e Manuela Saenz. Pessoalmente os dois somente vieram a conhecer-se em 1998, após a vitória eleitoral de Chávez. A partir daí passou a se processar uma metamorfose ideológica no político venezuelano, até então mais um caudilho cheio de bravatas, que não incomodava além de seus próprios opositores locais. A amizade entre os dois tornou-se uma união ideológica que vai além dos encontros pessoais. Dieterich é o principal responsável pela simpatia que Chávez possui na Europa, principalmente na França e Alemanha. Uma simpatia cada vez mais necessária diante da crescente animosidade do governo de Bush.


Heinz Dieterich, que é o mais traduzido autor em Cuba e tem seus artigos publicados em muitos países do ocidente, considera que o caminho de uma política própria e independente de potências como os EUA seja o principal canal para que a América Latina consiga o desenvolvimento tanto econômico quanto político. Os povos latinoamericanos possuem, em sua tradição e história, a impetuosidade política que sempre preocupou o imperialismo e sempre foi sufocada à bala pelas potências dominantes.
Trata-se de uma guerra na surdina, que sempre foi vencida no plano político com tiros, golpes (miltares e correlatos), embargos e boicotes pelas forças dos interesses da dominação colonialista.
A América Latina somente unida e desprendida dos demais blocos, fechada em si na quarta via, fazendo-se respeitar e defendendo seus interesses monoliticamente, conseguirá prosperar socialmente.
Os princípios da libertação não mudaram através dos séculos, como não mudaram os problemas em si. O vanguardismo latinoamericano nasce em ciclos periódicos desde os tempos dos navios negreiros, da mesma forma que suas derrotas.

Bush non pasará e a revolução continua

É também atribuído a Dieterich o rompimento de Chávez, em 1999, com o neofascista argentino Noberto Ceresole, espécie de assessor especial do venezuelano, defensor de princípios de extrema-direita. Ceserole foi expulso sumariamente do país.


Ainda muito por trás do palco, por seu voluntário recatamento e concentrado em seus estudos, o cientista político alemão com coração latino passa a maior parte de seu tempo na capital mexicana em seu pequeno apartamento no campus da universidade.
Ele foi um dos primeiros que percebeu os passos do governo norte-americano na invasão do Iraque e, talvez por ter fidedígnas fontes de informação em estratégicos governos europeus, vem há muito alertando Chávez, seja pessoalmente, seja em seus artigos, sobre a tendência do governo Bush de interferir internamente na Venezuela. "A única forma de defender-se do militarismo ianque ou seus fantoches locais é, idem, militarmente", defende Dieterich. Ele prega o armamento popular para o caso de uma "guerra assimétrica" contra os EUA, como os exemplos do Iraque e Vietnã. Pelo menos nisso ele tem razão.

Talvez ele possua informações privilegiadas, talvez tenha em sua análise componentes de um cientista político formado sob a ótica do detalhismo alemão ou, como não-latino, perceba movimentos que fogem à percepção de quem está na roda. Para todos os efeitos, Dieterich não se deixa levar apenas pela teoria. A exemplo de seus ex-companheiros de lutas nas ruas de Frankfurt, ele não abandona a efetividade da militância. A diferença, segundo ele próprio, é que alguns, como o ministro do exterior alemão Fischer, mudaram de lado.
A revolução continua e ele não prescinde da forma mais moderna e prática de defendê-la: O site www.rebelion.org é o seu bastião para propagar sua coalizão pela América Latina: Non Pasarón, diz com seus botões. - Bush que se segure.

[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]

Replies:
Subject Author Date
Reflexão sobre o Socialismo no século 21António Bica 6/09/07 14:19:47


Post a message:
This forum requires an account to post.
[ Create Account ]
[ Login ]
[ Contact Forum Admin ]


Forum timezone: GMT+0
VF Version: 3.00b, ConfDB:
Before posting please read our privacy policy.
VoyForums(tm) is a Free Service from Voyager Info-Systems.
Copyright © 1998-2019 Voyager Info-Systems. All Rights Reserved.