VoyForums
[ Show ]
Support VoyForums
[ Shrink ]
VoyForums Announcement: Programming and providing support for this service has been a labor of love since 1997. We are one of the few services online who values our users' privacy, and have never sold your information. We have even fought hard to defend your privacy in legal cases; however, we've done it with almost no financial support -- paying out of pocket to continue providing the service. Due to the issues imposed on us by advertisers, we also stopped hosting most ads on the forums many years ago. We hope you appreciate our efforts.

Show your support by donating any amount. (Note: We are still technically a for-profit company, so your contribution is not tax-deductible.) PayPal Acct: Feedback:

Donate to VoyForums (PayPal):

9/12/19 15:02:07Login ] [ Contact Forum Admin ] [ Main index ] [ Post a new message ] [ Search | Check update time | Archives: 12345[6]789 ]
Subject: Drama de um ex-privilegiado


Author:
Sérgio de Andrade
[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]
Date Posted: 3/04/07 18:42:29
In reply to: Rui Tavares 's message, "A sociedade de castas" on 26/03/07 23:37:52

Drama de um ex-privilegiado


Sérgio de Andrade, Jornalista

As pessoas que não necessitam de frequentar os centros de saúde (e cada vez são mais, desde que, neste país de grandes imoralidades, o Governo PS decidiu acabar com a pequena "imoralidade" que seriam os subsistemas de saúde...) talvez pensem que os utentes só têm dois problemas esperar para ser atendidos e esperar para serem operados. Uma operação é coisa complicada, convenhamos; e esperar também não é o fim do mundo. Não está mal de todo, pensar-se-á.

Infelizmente, essas duas pontas de um gigantesco icebergue são apenas aquelas a que a comunicação social dá mais visibilidade e, portanto, é natural crer-se que todo o resto vai bem. Mas não vai! Como acaba de descobrir um infeliz que passou do subsistema de saúde ao regime geral. Precisava de consultar um especialista e, já de pé atrás, decidiu pagar do seu bolso a consulta e mais um auxiliar de diagnóstico. E só quando o médico lhe aconselhou também umas análises é que o infeliz em questão pensou "Já cumpri a minha parte de bom cidadão, não sobrecarregando o orçamento do Ministério da Saúde, espero que agora o Estado também colabore. Vou ao centro de saúde da minha área pedir um P1" (o infeliz ex-privilegiado tinha ficado a saber que o P1 é um papel que se leva ao laboratório, onde só paga uma taxa moderadora).

Pés a caminho, o infeliz chegou ao centro, disse ao que ia e obteve esta resposta "Análises? Têm que ser passadas pelo seu médico de família. Ai, ainda não tem médico de família (mas afinal que raio será isso de "médico de família"?). Estamos em Março, não é verdade? Penso que lhe posso arranjar consulta para Maio. Depois, a requisição vai para o hospital da área e este informá-lo-á do local onde pode fazer as análises".

Como é de calcular, o infeliz ex-privilegiado ficou mais pobre, pois pagou, depois da consulta e do eco-qualquer-coisa, também as análises. Mas ficou mais rico em experiência. Passou a sentir na pele o que sentem milhões (serão milhões, não?) de concidadãos quando se servem da assistência (?) pública na saúde. Como aquele que, gastando 100 euros numas lentes baratinhas, acabou por receber uma comparticipação de 61 cêntimos.

Abençoado país!

Sérgio de Andrade escreve no JN, semanalmente, às terças-feiras.

[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]


Post a message:
This forum requires an account to post.
[ Create Account ]
[ Login ]
[ Contact Forum Admin ]


Forum timezone: GMT+0
VF Version: 3.00b, ConfDB:
Before posting please read our privacy policy.
VoyForums(tm) is a Free Service from Voyager Info-Systems.
Copyright © 1998-2019 Voyager Info-Systems. All Rights Reserved.