VoyForums
[ Show ]
Support VoyForums
[ Shrink ]
VoyForums Announcement: Programming and providing support for this service has been a labor of love since 1997. We are one of the few services online who values our users' privacy, and have never sold your information. We have even fought hard to defend your privacy in legal cases; however, we've done it with almost no financial support -- paying out of pocket to continue providing the service. Due to the issues imposed on us by advertisers, we also stopped hosting most ads on the forums many years ago. We hope you appreciate our efforts.

Show your support by donating any amount. (Note: We are still technically a for-profit company, so your contribution is not tax-deductible.) PayPal Acct: Feedback:

Donate to VoyForums (PayPal):

Login ] [ Contact Forum Admin ] [ Main index ] [ Post a new message ] [ Search | Check update time | Archives: 1[2]345678 ]
Subject: Re: O BPN. o S.L. de N, e o SIRESP.


Author:
Disse
[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]
Date Posted: 6/11/08 11:16:17
In reply to: Zé do Telhado 's message, "O BPN. o S.L. de N, e o SIRESP." on 6/11/08 11:06:11

erça-feira, 22 de Abril de 2008

SIRESP, Parte I

1- “O ex-ministro da Administração Interna, Daniel Sanches, assinou um despacho conjunto com o responsável pela pasta das Finanças, Bagão Félix, três dias após as eleições legislativas, adjudicando um sistema de comunicações, no valor de mais de 500 milhões de euros, a um consórcio liderado pela Sociedade Lusa de Negócios (SLN), uma holding para a qual o próprio Daniel Sanches trabalhou, antes de integrar o Governo de Santana Lopes."

"Em Julho de 2003, o Governo convidou cinco empresas de telecomunicações a apresentar propostas a este meganegócio, mas apenas o consórcio vencedor enviou um projecto. Depois de terem pago 15 mil euros pelo programa de procedimentos, os restantes participantes desistiram, alguns alegando que o concurso estava previamente decidido.

João Pires, um porta-voz do actual ministro da Administração Interna, António Costa, assegurou que o processo está a ser analisado pelo governante, sem adiantar mais pormenores.”
Jornal público 23.03.2005

"O concurso para a adjudicação da instalação da rede foi lançado em 2003 pelo Governo de Durão Barroso. Deveria estar operacional no decurso do Euro 2004. Não estava. Demorou dois anos até ser adjudicado, embora só tenha havido um concorrente – o consórcio de «peso» constituído pela Motorola, Sociedade Lusa de Negócios, Datacomp, Portugal Telecom e Esegur. As outras empresas que foram convidadas a apresentar proposta nunca chegaram a fazê-lo.
Porquê? O concurso, cerca de 200 milhões de euros depois (segundo o «Público», o consórcio baixou o preço de cerca de 600 milhões para 400 milhões de euros), é adjudicado por Daniel Sanches, na altura ministro da Administração Interna, e Bagão Félix, ministro das Finanças, tendo o despacho de adjudicação sido publicado em Diário da República de dia 9 de Março deste ano, com data de despacho de 23 de Fevereiro, ou seja, três dias depois das eleições legislativas em que José Sócrates saiu vencedor.
O Governo de Santana Lopes estava em gestão desde Dezembro. E adjudicaram um concurso, que esteve praticamente dois anos para ser decidido, quando estavam em gestão. Porquê?"

28 MARÇO 2005 Jornal de negócios, Rubrica “opinião”- Alexandra machado

Publicada por P.E. em Terça-feira, Abril 22, 2008

http://cascaisterraportuguesa.blogsp...p-parte-i.html
__________________

[Disclaimer: Ao escrever isto, não pretendo mais senão transmitir uma opinião pessoal, esperando não estar a incorrer num crime de delito de opinião, punido em Portugal com 1 a 8 anos de prisão]
FN está offline Responder com Quote
FN
Ver Perfil Público
Visitar homepage de FN
Procurar mais Mensagens de FN
Antigo 26-04-2008, 00:11 #6
FN
Humorista
Fórum Supporter

Registo: Apr 2004
Local: Internet
Idade: 33
Mensagens: 2.982
FN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradores

SIRESP, Parte II

2- “Quando o PS ganhou as legislativas de 2005, António Costa, enquanto ministro da Administração Interna (MAI), solicitou um parecer ao Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR), que, em finais de Abril de 2005, concluiu ser nulo o acto de adjudicação, em virtude de ser praticado por membros de um Governo que estava em gestão e, por isso, sem competência para o efeito.
Com este parecer, o MAI declarou o negócio nulo e, posteriormente, renegociou o contrato com o mesmo consórcio, com condições mais vantajosas para o Estado.”

"O Conselho de Ministros aprovou hoje a adjudicação da parceria público-privada que permite iniciar o processo de implementação do Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP). O contrato aprovado prevê o pagamento de 485,5 milhões de euros, durante um período de 15 anos.
(…)
O contrato hoje aprovado prevê o pagamento durante 15 anos, de um valor acumulado de 485,5 milhões de euros, o que representa uma redução de 52,5 milhões de euros relação à adjudicação realizada em Fevereiro de 2005, que era de 538 milhões de euros."
18 MAIO 2006

"Quatro das cinco empresas que integram o consórcio vencedor do concurso do Sistema Integrado das Redes de Segurança e Emergência de Portugal (Siresp) foram alvo de várias buscas da Polícia Judiciária, ordenadas pelo procurador-geral adjunto Azevedo Maia.
O ex-procurador-geral da República Souto Moura encarregou aquele magistrado do Ministério Público de esclarecer os contornos do negócio que os ex-ministros da Administração Interna e das Finanças, Daniel Sanches e Bagão Félix, respectivamente, assinaram três dias após as eleições legislativas de 2005. O objectivo é apurar se houve ou não tráfico de influências e acesso indevido a informação privilegiada."

14 NOVEMBRO 2006

“Durante a investigação, que contou com a colaboração policial da Direcção Central de Investigação Contra a Corrupção e a Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF) da PJ, realizaram-se buscas a empresas que integravam o consórcio vencedor e houve alguns arguidos”…

Publicada por P.E. em Terça-feira, Abril 22, 2008

http://cascaisterraportuguesa.blogsp...-parte-ii.html
__________________

[Disclaimer: Ao escrever isto, não pretendo mais senão transmitir uma opinião pessoal, esperando não estar a incorrer num crime de delito de opinião, punido em Portugal com 1 a 8 anos de prisão]
FN está offline Responder com Quote
FN
Ver Perfil Público
Visitar homepage de FN
Procurar mais Mensagens de FN
Antigo 26-04-2008, 00:12 #7
FN
Humorista
Fórum Supporter

Registo: Apr 2004
Local: Internet
Idade: 33
Mensagens: 2.982
FN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradoresFN tem muitos admiradores

SIRESP, parte III e Epilogo

3-“Estado comprou por 485 milhões Sistema que podia ter custado 250”

"Presidente da Siemens Portugal disse à PJ que o Siresp, utilizado por forças de segurança e de emergência, poderia ter ficado por metade do preço.
O presidente da Siemens Portugal declarou à PJ que o Siresp, o sistema de comunicações de segurança e emergência utilizado pelos serviços do Estado, poderia ter ficado por metade do preço.

Carlos de Melo Ribeiro disse, no âmbito do inquérito que investigou a adjudicação deste sistema, que estranhou o facto de António Costa ter chegado a acordo com o mesmo consórcio depois de ter sido considerada nula a primeira decisão do ex-ministro da Administração Interna Daniel Sanches.

Costa, sucessor de Sanches, baixou o preço do sistema para 485,5 milhões de euros, mas Carlos de Melo Ribeiro afirmou que o negócio poderia ser adjudicado por metade do preço, cerca de 250 milhões de euros.
o PÚBLICO contactou o assessor de imprensa de António Costa, Duarte Moral, que insistiu que o Estado poupou 50 milhões de euros face ao preço inicial, recusando-se a fazer mais comentários sobre o caso.”



Epilogo

"Lisboa, 04 Abr (Lusa) - O inquérito do Ministério Público (MP) ao "caso SIRESP", por suspeitas de tráfico de influências na adjudicação do concurso para o Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal, foi arquivado."

"Durante a investigação, que contou com a colaboração policial da Direcção Central de Investigação Contra a Corrupção e a Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF) da PJ, realizaram-se buscas a empresas que integravam o consórcio vencedor e houve alguns arguidos, mas o caso acabou por ser arquivado, por falta de provas."

Algumas fontes:
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1218845&idCanal=21
http://www.negocios.pt/default.asp?CpContentId=257415
http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=337616&visual=26&tema=1
http://www.negocios.pt/default.asp?CpContentId=276206
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1276503&idCanal=21
http://diario.iol.pt/sociedade/siresp-tribunal-inquerito-trafico-de-influencias-ministerio-publico-justica/936157-4071.html
http://pdf.publico.pt/sendPdf.asp?dir=2008/04/13/web20080413220001p1li.pdf&id=726BE8E5-5C41-4210-BBE5-57DC00C04827&year=2008&month=04&day=13

http://cascaisterraportuguesa.blogsp...e-epilogo.html
__________________

[Disclaimer: Ao escrever isto, não pretendo mais senão transmitir uma opinião pessoal, esperando não estar a incorrer num crime de delito de opinião, punido em Portugal com 1 a 8 anos de prisão]
FN está offline Responder com Quote

[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]


Post a message:
This forum requires an account to post.
[ Create Account ]
[ Login ]
[ Contact Forum Admin ]


Forum timezone: GMT+0
VF Version: 3.00b, ConfDB:
Before posting please read our privacy policy.
VoyForums(tm) is a Free Service from Voyager Info-Systems.
Copyright © 1998-2019 Voyager Info-Systems. All Rights Reserved.