VoyForums
[ Show ]
Support VoyForums
[ Shrink ]
VoyForums Announcement: Programming and providing support for this service has been a labor of love since 1997. We are one of the few services online who values our users' privacy, and have never sold your information. We have even fought hard to defend your privacy in legal cases; however, we've done it with almost no financial support -- paying out of pocket to continue providing the service. Due to the issues imposed on us by advertisers, we also stopped hosting most ads on the forums many years ago. We hope you appreciate our efforts.

Show your support by donating any amount. (Note: We are still technically a for-profit company, so your contribution is not tax-deductible.) PayPal Acct: Feedback:

Donate to VoyForums (PayPal):

12/12/19 3:44:56Login ] [ Contact Forum Admin ] [ Main index ] [ Post a new message ] [ Search | Check update time | Archives: 1[2]3456789 ]
Subject: Apoio à natalidade!!!!!


Author:
Rosa Redondo
[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]
Date Posted: 22/07/07 20:09:00

As medidas de apoio à natalidade que o governo anunciou enquadram-se no modelo do politicamente correcto ou seja, preocupam-se com os “mais desfavorecidos” e não conduzem a nenhum resultado prático positivo.
Alguém, com honestidade de raciocínio, poderá defender que o aumento durante 3 anos de 10 ou 20 euros no abono de família levará as pessoas, conscientes das responsabilidades de todo o tipo que criar uma criança acarreta, a ter mais filhos?
O numero de crianças caiu sobretudo nas famílias da classe média. Nas camadas sociais mais pobres e incultas as dificuldades práticas e a inconsciência dessas tais responsabilidades mantém a natalidade a níveis mais altos; como muitas vezes se ouve dizer: “onde comem três, comem quatro”.

Citando José Manuel Fernandes no PUBLICO:
“O Estado pode e deve ajudar a criar condições mais favoráveis às famílias que desejam ter filhos. Elas passam muito por tornar mais fácil a conciliação entre o trabalho e a vida familiar.(...) Isso vai desde a organização dos espaços urbanos, até medidas para haver creches bem distribuídas e de boa qualidade. Quando se acrescenta às horas passadas nos empregos as muitas horas gastas a percorrer os caminhos entre a casa, a escola ou escolas e o local de trabalho numa grande metrópole, é fácil perceber como pode ser um inferno o quotidiano duma família remediada dos subúrbios.”

Os incentivos financeiros deveriam passar não por uma “esmola” (chame-se ela embora “abono de família”) mas por reduções ao nível do IRS que contemplassem não só o custo efectivo de berçários e escolas mas também a necessidade de contratar auxiliares domésticas, e a diminuição de rendimento pela decisão de trabalhar em part-time ou de dedicar 3 ou 4 anos ao acompanhamento dos filhos.
E já agora a propósito de medidas relacionadas com o trabalho, é essencial que elas não sejam feitas à custa das empresas e não acabem por se virar contra as mulheres que supostamente beneficiariam.

Mais uma vez citando J. M. Fernandes:
“Nenhuma lei laboral impedirá só por si que a gravidez prejudique uma carreira profissional, mas há países onde a partilha do tempo de licença entre o pai e a mãe não é facultativo, antes obrigatório, o que diminui a desigualdade. Mas se a lei laboral e fiscal estimulasse o trabalho em part-time aumentariam as condições para muitas mulheres... e muitos homens terem tempo para a profissão e para os filhos.”

Enquanto os Governos teimarem em não ver porque é que os cidadãos produtivos deste país não produzem também mais filhos, a tendência não irá inverter-se.
E medidas como as anunciadas não irão senão aumentar a despesa publica (que nós pagamos). Correndo ainda o risco de, tal como já acontece nalguns países da Europa, criar um novo modo de subsistência: “fazedor de filhos” . Um certo numero de crianças já dá um montante de abono que, acrescentado ao subsídio de inserção (o rendimento mínimo garantido) e mais um ou outro apoio, já dá para viver em conjunto com uns biscates. E assim como assim, haverá sempre uma qualquer comissão de apoio a menores em risco para se ocupar dos miúdos, não é verdade?

[ Next Thread | Previous Thread | Next Message | Previous Message ]

Replies:
Subject Author Date
è NatalP.M.23/07/07 10:49:52
Re: Apoio à natalidade!!!!!Paulo Silva24/07/07 12:59:49
Crescei e multiplicai-vosInês Pedrosa29/07/07 17:07:59
SEXO EM DEMOCRACIA (3)João Miranda (DN, 11.08.2007)12/08/07 9:57:08


Post a message:
This forum requires an account to post.
[ Create Account ]
[ Login ]
[ Contact Forum Admin ]


Forum timezone: GMT+0
VF Version: 3.00b, ConfDB:
Before posting please read our privacy policy.
VoyForums(tm) is a Free Service from Voyager Info-Systems.
Copyright © 1998-2019 Voyager Info-Systems. All Rights Reserved.